06/11/2013

Erros comuns usando a chapinha

1. Deixar a chapinha muito tempo em um ponto do cabelo

De acordo com Luiz Cintra o erro mais comum das mulheres na hora de fazer a chapinha é deixar por muito tempo o equipamento em algum ponto do cabelo. “Geralmente isso acontece nas pontas, pois, na intenção de modelar os fios, ela acaba deixando por muito tempo, tentando virar o cabelo”, explica.

2. Passar a chapinha repetidas vezes nos fios

Outro erro comum, de acordo com Luiz Cintra, é o fato de a mulher passar repetidas vezes a chapinha na mesma mecha. “Esse e o procedimento acima citado aumentam muito a temperatura do fio, acelerando o processo de ressecamento e, por vezes, até quebrando o cabelo”, acrescenta.

3. Fazer chapinha todos os dias

Na opinião do hairstylist Luiz Cintra, o ideal é fazermos uma boa escova e, somente em casos mínimos, a chapinha é indicada. “Como, por exemplo, em situações de mulheres que têm cabelos muito ondulados, que perdem o efeito liso muito rápido. Para todos os outros cabelos, o secador e a escova dão um jeito. Nesse cenário, a chapinha poderia ser usada somente para dar uma retocada nos cabelos no outro dia”, diz.

4. Esquecer a hidratação

“O importante é saber que, quanto mais usarmos a chapinha, mais vezes teremos que hidratar os fios, na intenção de mantê-los mais nutridos e maleáveis”, diz o hairstylist.

5. Comprar qualquer chapinha

É fundamental escolher uma boa chapinha e que também seja adequada ao seu tipo de cabelo. “Hoje em dia temos várias opções de compra desse instrumento. As placas de cerâmica mantêm a temperatura quente mais estável, o que ajuda no brilho dos fios”, diz Luiz Cintra.“ Indico também as chapinhas com visor de temperatura, que ajuda a escolher a temperatura correta para os diversos procedimentos que podemos fazer”, acrescenta.
O profissional reforça ainda que a chapinha deve ser usada somente nos fios secos (ver mais abaixo). “Secar o fio com a ajuda da chapinha não é indicado, a não ser que seja usada uma chapinha específica para esse tipo de secagem”, diz.
Em relação ao tamanho da chapinha, as maiores são mais indicadas para cabelos de comprimento maior e fios mais disciplinados. “Já as chapinhas menores, são indicadas para cabelos mais curtos, franjas e ideal para os deslocamentos, podendo ser levadas para qualquer lugar na bolsa, já que usam pouco espaço”, acrescenta Luiz Cintra.

6. Fazer a chapinha com o cabelo úmido

De acordo com o hairstylist, até existe no mercado chapinha indicada para secar e alisar os cabelos ao mesmo tempo. “Mas, com meus anos de experiência, prefiro fazer o processo no cabelo já totalmente seco. O problema de passarmos uma chapinha nos fios úmidos é que a alta temperatura do instrumento vai acabar fervendo a água contida no fio e o ressecamento será inevitável, podendo, em alguns casos, até partir o fio totalmente”, acrescenta.

7. Esquecer o protetor térmico

Protetores térmicos são excelentes para proteger os fios e são superindicados para quem faz chapinha. “Os produtos termo ativados precisam do calor da chapinha para que seus ativos sejam liberados. Além de protegerem os fios, dão acabamento e textura a eles. Então, procure sempre produtos termo ativados ou protetores térmicos e use-os antes do secador e da chapinha”, explica Luiz Cintra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário